Fluxo de Caixa para MEI: Como elaborar o seu

O Fluxo de Caixa é o grande aliado de todo pequeno empreendedor. Por quê? É simples, através desta poderosa ferramenta financeira, ele conseguirá controlar cada centavo do seu negócio e tomar decisões importantes com base nela.

No entanto, ainda é alarmante a quantidade de empreendedores que desconhecem ou não usam o Fluxo de Caixa.

A consequência disso é o desconhecimento sobre a realidade financeira da empresa, que a longo prazo pode levar ao seu fechamento precoce.

Para que isso não aconteça com você, continue lendo este post e descubra como elaborar um Fluxo de Caixa eficiente e não deixe mais as finanças do seu negócio de lado.

1 – O que é o Fluxo de Caixa?

Antes de saber como montar o seu Fluxo de Caixa, é crucial saber o que ele é.

De maneira geral, ele é uma ferramenta de gestão que detalha as principais movimentações financeiras do seu negócio, sobretudo as entradas e saídas.

Porém, mais do que uma ferramenta de controle, o Fluxo de Caixa auxilia o empreendedor a tomar as melhores decisões sobre o seu negócio, tais como:

  • Cortar uma despesa fixa desnecessária
  • Comprar novos equipamentos
  • Diminuir uma despesa variável
  • Regularizar os impostos
  • Pagar os funcionários prioritariamente
  • Investir em infraestrutura
  • Alterar os insumos de um determinado produto
  • Repensar fretes e logísticas de transporte

Qualquer falha na Gestão Financeira pode resultar em contas atrasadas e colocar a empresa no vermelho.

Por isso é importante escolher a melhor forma de controle de acordo com as necessidades do seu negócio.

2 – Como elaborar o Fluxo de Caixa

Um Fluxo de Caixa eficiente é aquele em que o empreendedor consegue controlar e acompanhar as entradas e saídas financeiras.

Todo esse processo deve ser realizado de maneira simples e fácil.

Sabendo disso, confira agora o passo a passo para criar o seu Fluxo de Caixa.

Escolha a ferramenta ideal

O primeiro passo para elaborar o Fluxo de Caixa, é escolher a ferramenta onde você irá registrar todas as informações financeiras do seu negócio.

Nesse momento, você pode optar por um caderno, uma planilha ou um software específico para esse tipo de controle.

Independente do método que você escolher, será necessário usá-lo diariamente e preenchê-lo com dados financeiros, a saber:

  • Saldo inicial do caixa da empresa
  • Contas a receber
  • Contas a pagar
  • Despesas realizadas
  • Entradas financeiras
  • Saldo final

Os valores informados devem ser o mais verdadeiro possível, pois o relatório precisa ser fiel à realidade da empresa.

Troque o tempo que você gasta organizando as finanças da sua empresa por momentos em família. Administrar Online

Organize as informações

Saber quanto está entrando e saindo é tão importante quanto saber o que está consumindo e o que está pagando.

Por isso, antes de tudo, é preciso descrever todos os custos fixos e variáveis.

Ao começar pelas despesas, faça o levantamento das despesas fixas, dividindo-as em categorias:

  • Fornecedores: todos os gastos com produtos ou serviços que são fornecidos para o seu negócio;
  • Funcionários: gastos referentes à folha de pagamento dos colaboradores, incluindo você;
  • Impostos: pagamento dos tributos obrigatórios;
  • Empréstimos e investimentos: dinheiro utilizado para fazer seu negócio crescer;
  • Despesas variadas: os gastos com aluguel, condomínio, água, luz, internet, telefone, correio, papelaria, etc.

A seção das receitas, irá  depender muito do seu tipo de negócio e dos clientes que possui.

Você pode separar os clientes fixos dos ocasionais ou criar categorias a partir dos produtos e serviços vendidos.

Mantenha o Fluxo de Caixa sempre atualizado

Não deixe de informar frequentemente todas as entradas e saídas, juntamente com as suas respectivas descrições.

Quanto mais informações forem dadas, melhor será para descobrir se seu negócio está no vermelho ou no azul.

Assim fica fácil pensar em como reverter a situação antes do mês acabar caso esteja com prejuízos.

As despesas podem ser a parte mais trabalhosa para preencher, mas não deixe nenhuma de fora.

Muitas vezes, um gasto quase insignificante feito várias vezes no mês pode resultar em um valor considerável quando colocado na ponta do lápis.

Analise os relatórios

Ao chegar no fim do mês é necessário ter em mãos todo o histórico de entradas e saídas para começar a análise.

Com as vendas e despesas bem anotadas e estruturadas é muito mais fácil ter um panorama da situação financeira da empresa.

Neste passo é preciso identificar onde podem ser feitos os cortes ou reduções de gastos e onde se deve investir mais, a fim de melhorar a situação financeira bem como a empresa como um todo.

Montar o Fluxo de Caixa é uma tarefa muito simples, entretanto, o sucesso da ferramenta dependerá unicamente da pessoa que a preenche.

Por isso, tenha atenção ao informar os dados para não esquecer de nenhum valor.

Lembre-se também de reservar um tempo considerável para analisar a situação financeira do seu negócio, pois essa pode ser a chave para administrar corretamente a empresa.

Se mesmo depois de conhecer as dicas de como elaborar o fluxo de caixa, você ainda sente dúvidas sobre como implantá-lo no seu negócio, então não hesite em procurar ajuda.

Nesses momentos, contratar uma empresa especializada em Terceirização das Rotinas Financeiras, como a Administrar Online, é a sua melhor opção.

Com ela, você tem a certeza de que as finanças do seu negócio estão sendo administradas por uma equipe capacitada nessa área.

Quer saber mais? Conheça os serviços da Administrar Online para conhecer os nossos serviços e entrar em contato com a nossa equipe.

Comments are closed.
Fale Conosco pelo WhatsApp